E-HTL pensa em voltar a ativa de modo positivo e com foco nacional

E-HTL pensa em voltar a ativa de modo positivo e com foco nacional. Para mais informções sobre basta continuar lendo o artigo.

Em live, a E-HTL reuniu parceiros para discutir a retomada do Turismo no Brasil pós-pandemia. A operadora especializada em hotéis aponta que sua receita não parou no período pandêmico, prevê um recomeço calcado nas viagens domésticas e, embora lamente o que vem acontecendo com o setor em 2020, acredita em um cenário melhor já para o ano que vem.

“Viemos de um ótimo cenário em relação aos dois últimos anos, mas infelizmente agora em 2020, tivemos uma parada e toda a demanda está guardada. Creio que o brasileiro se ajusta e que as viagens interrompidas pela covid-19, acontecerão assim que possível. Vamos depender da hotelaria, da malha aérea, mas tudo se ajusta”, afirma o diretor da E-HTL, Flávio Louro. “O próximo ano será positivo para a cadeia produtiva do Turismo”, completa.

Quem também participou do encontro virtual foi o diretor comercial da Iberostar no Brasil, Orlando Giglio. Os principais empreendimentos da rede espanhola no Brasil são resorts no Nordeste que, por sua vez, dependem da retomada não só do lazer, mas do corporativo. Giglio também ressaltou a importância da execução de protocolos garantidores de higiene e biossegurança.

“Tivemos que realizar uma grande migração dos eventos que aconteceriam em 2020, para o próximo ano, o que significa uma perda muito grande na nossa receita”, comentou o diretor da Iberostar no Brasil.

Outra parceira da E-HTL do ramo de hotelaria a participar foi a Accor. Por meio da diretora comercial da rede no Brasil, Mariana Pierre, a companhia mostra que seu foco agora é reconquistar a confiança dos turistas.

“Nosso protocolo segue normas de três grandes empresas da Organização Mundial da Saúde e nosso principal objetivo é reconquistar a segurança e confiança das pessoas que desejam voltar a viajar. Além do protocolo, estamos nos preparando para a retomada, com a aposta de novos produtos, que estejam adaptados a nova vida das pessoas”, apontou a executiva.

Um dos destinos mais concorridos do País, Porto de Galinhas deverá ter a abertura de hotéis de forma gradativa, para atrair primeiramente o público regional. Assim avalia o diretor da Associação dos Hotéis de Porto de Galinhas, Otaviano Maroja.

“Estamos realizando todos os ajustes necessários para a retomada. Alguns hotéis vão abrir no mês de julho, mas com apenas 10% da ocupação e por isso nosso foco é o público regional para depois conquistar o público nacional”, comenta Maroja. O Nordeste é uma das regiões brasileiras que mais gera empregos no Turismo e a crise da covid-19 gerou uma série de desempregos. Só em Porto de Galinhas, mais de 30 mil pessoas sofreram com as demissões revela o diretor da associação.

Os receptivos também tiveram de se readaptar. Segundo Any Brocker, da Brocker Turismo, uma das principais empresas do ramo na Serra Gaúcha, o mote agora deve ser a natureza. “Queremos oferecer aos turistas novas experiências que entregam um pouco mais da história, da cultura, da natureza dos locais. Vamos priorizar passeios que mexam com a emoção das pessoas e claro, seguindo todas as normas de segurança.”

Flávio Louro conclui que mesmo com a crise causada pela pandemia, a receita da operação não parou. “Nossa receita continuou girando mesmo com a pandemia. Tivemos fôlego financeiro para trabalhar durante este ano e por isso continuamos otimistas com o setor. Nosso foco é investir no Turismo nacional, para fomentar as regiões brasileiras”.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.